Como encarar a extração dos sisos com calma

Dos 17 aos 30 anos você pode perceber a presença de um ou mais dentes na arcaria dentária (a mais). Conhecido popularmente como siso, o terceiro molar exige atenção redobrada, pois o nascimento dele, quando mal posicionado, pode ocasionar alguns danos à saúde bucal. Mas, não precisa ter medo, se o paciente seguir as recomendações do cirurgião-dentista a recuperação tem tudo para ser tranquila.

A melhor forma de observar o posicionamento dos terceiros molares irrompidos e não irrompidos na arcada é através da radiografia panorâmica, pois a mesma oferece uma imagem ampla de todo o complexo mandibular.    Durante a formação e irrompimento dos dentes o paciente está sujeito a diversos fatores como: falta de espaço, má posição dos dentes perda do dente decíduo, traumas, doenças febris,  gengivite, abscesso na região, reabsorção das raízes dos segundos molares, inchaço, dores na ATM, dores no ouvido e entre outros.

Os sisos podem erupcionar de diversas formas. Inclinados (prejudicando os outros dentes próximo de onde nasceu) ou inclusos (cobertos por tecido ósseo ou mucosa). Na maxila (parte superior da boca), na maioria das vezes os terceiros molares estão na posição vertical (ao longo eixo do dente),  vestibularizados (voltado para a bochecha) ou próximos ao seio maxilar.

Cirurgia e pós-operatório

Feito o diagnóstico, é hora de marcar a cirurgia.  Muitas vezes são passados medicamentos para prevenir inchaços e possíveis infecções. Se você fizer tudo que for recomendado, a recuperação será a melhor possível. Pode ter dor? Mas esperamos a menor possível. Pode ter inchaço? Mas esperamos também que seja pequeno.

No primeiro dia após a extração não é recomendado cuspir. O cirurgião orienta aos pacientes repouso, uso de compressa gelada e evitar esforço físico.

FONTE:  A Critica.com

Recommended Posts

Escreva um Comentário