Sabia que a grávida precisa fazer pré-natal odontológico? Entenda o porquê…

Escovação correta, uso do fio-dental e visita ao dentista nesse período são ações simples que evitam doenças, como a cárie e a doença periodontal.

As alterações hormonais comuns à gestação, como aumento dos hormônios estrogênio e progesterona, podem agravar as condições de doenças periodontais, como sangramento na gengiva. Esta condição periodontal é clinicamente semelhante a uma gengivite induzida por placa, com gengiva de coloração avermelhada, edemaciada, com sangramento ao simples toque ou durante a escovação. E a gestante não precisa ficar assustada, apenas adotar as medidas para melhora da condição gengival e, caso necessário, fazer uma profilaxia (limpeza profissional) da gengiva e dos dentes.

Durante o pré-natal é fundamental que seja feita uma avaliação odontológica para que o dentista faça o acompanhamento da gestante, quando necessário. Os tratamentos são seguros e contribuem para uma saúde geral e gestação saudável. Idealmente, no segundo trimestre de gravidez devem ser realizados os procedimentos naquelas gestantes que possuem doenças bucais.

O ideal é que os atendimentos sejam preferencialmente realizados no período da manhã, pois é nesse horário que costuma vir a ânsia de vômito matinal e maior risco de hipoglicemia. Além disso, a gestante deve ficar confortável na cadeira odontológica e as sessões devem ser curtas.

Alimentação
O trabalho de prevenção a doenças, especialmente contra a cárie, está também associada aos hábitos alimentares. A introdução de alimentos saudáveis, sem açúcar artificial, como balinhas, pirulitos, chicletes, sucos artificiais e refrigerantes, é sempre uma boa dica. Mas é essencial fazer a escovação correta após as refeições, usar o fio dental e o creme dental com flúor.

Dentes frágeis na gestação?
Durante o período gestacional, muitas mulheres queixam-se de terem dentes frágeis, acreditando que o cálcio dos dentes e dos ossos vão para o desenvolvimento dos dentes de leite dos bebês. Isso não é verdade. O cálcio é proveniente da dieta da mãe, por isso é essencial adotar uma dieta rica em vitaminas A, C e D, proteínas, cálcio e fósforo, durante o primeiro e segundo trimestres de gestação, período em que os dentes de leite do bebê estão em formação e calcificação. O que ocorre é que durante o período gestacional as mulheres podem ter maiores enjoos (principalmente matinais) e deixar de fazer higienização correta dos dentes ou fazer de forma rápida, não eliminando a placa dentária, que aliada ao consumo mais acentuado de carboidratos, irá culminar no aparecimento de lesões de cárie.

Algumas mulheres também acham que devem interromper o tratamento durante o puerpério (após o parto), mas, não há nenhuma contraindicação. Como a gestante deverá retornar à unidade básica de saúde com seu bebê, ela poderá finalizar seu tratamento odontológico e receber orientações quanto à higienização bucal correta do bebê e outras orientações.

FONTE: Viva Bem

Recent Posts

Escreva um Comentário